Daily Calendar

Seguidores

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Transexual diferente de homossexual. Há dúvidas?

Definição de jornalista. “São aqueles que, como ocupação principal, permanente e remunerada, exercem funções de pesquisa, recolha, selecção e tratamento de factos, notícias ou opiniões, através de texto, imagem ou som, destinados a divulgação informativa pela imprensa, por agência noticiosa, pela rádio, pela televisão ou por outra forma de difusão electrónica.
Dever do mesmo. “Exercer a actividade com respeito pela ética profissional, informando com rigor e isenção”.
Por isso muito me espanta que em pleno século XXI, haja jornalistas que não saibam a diferença entre transsexuais e homossexuais.
Passo a explicar... O jornal “A Semana”, um dos mais lidos em Cabo Verde, na sua última edição, escolhe para título: “Homossexual Assumido”. Num país, onde a homossexualidade encontra-se camuflada, escondida, onde as palavras lésbicas e gays são difíceis de pronunciar, nada como “agitar as águas” e despertar as mentes para uma realidade controversa. Até aqui nada a apontar… alias só elogiar pela atitude jornalística em desbravar novos caminhos.
Quando se começa a ler a dita reportagem é que “a porca torce o rabo”, como se diz em bom português.

Passo a citar alguns excertos: “Cabral acha que carrega um corpo e uma alma de mulher, apesar de ter sexo masculino”, “Sou um ser humano como qualquer outro, com defeitos e qualidades, e não acho que isto (a homossexualidade) seja um defeito”, “Sou uma mulher na cabeça, no corpo, e na forma de sentir, portanto quando olho para um homem vejo oposto”. Estas são as palavras de Emanuel Cabral, 22 anos, estudante do 12º ano de escolaridade que conta a sua história à publicação cabo-verdiana. Confuso?
Duas anotações: A primeira é que se um jornalista não sabe do assunto que foi destacado a cobrir, primeiramente faz pesquisa, tenta recolher o máximo de informação sobre a temática. Caso isso tivesse acontecido, talvez o autor da notícia soubesse que há diferenças entre homossexuais e transsexuais e bastava um pequeno clique na wikipedia.
Transsexualidade: "É a condição considerada pela Organização Mundial de Saúde como um tipo de transtorno de identidade de género, refere-se à condição do indivíduo que possui uma identidade do género, diferente da designada no nascimento, tendo o desejo de viver e ser aceite como sendo do sexo oposto. Usualmente, os homens e as mulheres transsexuais apresentam uma sensação de desconforto ou impropriedade do seu próprio sexo anatómico. A explicação estereotipada é de "uma mulher presa num corpo masculino".
Homossexualidade: "Define-se por atracção física, emocional, estética e espiritual entre seres do mesmo sexo.
A segunda. Poderá o leitor pensar, mas Emanuel admite que gosta de homens? É correcto, mas numa sociedade onde a maioria considera este tema como uma autêntica aberração, que não merece ser discutido, é dever do jornalista explicar correctamente, para que não provoque ainda mais confusão.

Ao empregar-se o nome de homossexual a um transsexual está-se a dizer que “todos os homossexuais desejam ser mulher”. Falsidades e mais falsidades. Se a função de um jornalista é clarificar há que o fazer correctamente e intrinsecamente. Emanuel é apenas um homem que quer ser mulher pois é assim que a sua alma se sente. Um homossexual não deseja ser mulher, apenas nutre sentimentos pelo mesmo sexo. Cabo Verde tem um longo caminho a percorrer, no que diz respeito, a ultrapassar certos obstáculos e barreiras, mas quem tem hipótese de ajudar nesta demanda que o faça “com cabeça, tronco e membros” e não só porque fica bem na capa de um jornal e assim esgota-se a edição nas bancas. A curiosidade é indissociável do ser humano, mas há que aguçar essa curiosidade com a mais pura das verdades…

Todos erramos… é correcto, já falhei tantas vezes e mais vezes hei-de o fazer… agora meus senhores e minhas senhoras, a quem por vezes falta a modéstia e humildade, humildade essa necessária a qualquer publicação, este erro é uma bofetada de luva branca e para bom entendedor meia palavra basta…

2 comentários:

Ludgero disse...

eheheh
bem esclarecido!!! ;)
já andas a cultivar inimizades??? lololol
beijoka

Anónimo disse...

Áhhhh, como te compreendo.
Jornalismo em Cabo Verde? Alguns são, outros pensam que são, e há os que não são nem pensam, mas agem como se fossem-imagina- até têm espaço para o fazer nos ditos "jornais". E há tantos assim por cá.

É bom ter sangue novo por cá, com ideias, criticas do estado das coisas (mesmo naquele onde te mexes).

Parabéns pela escrita.