Daily Calendar

Seguidores

terça-feira, 31 de março de 2009

Mulheres líderes

Desafiam o seu tempo. Aquelas por quem até o poder não fica indiferente. Estão além dele... além das limitações que lhes são impostas pelas épocas, por barreiras ou preconceitos da sociedade em que decidiram viver.

São rainhas... divas... governantes.... simples mulheres de armas. Na mente, um objectivo, uma meta, uma finalidade. Os sonhos que nunca adormecem. Aos poucos deixam a sua marca numa qualquer história, antes mesmo da chegada do adeus irreversível.

Visionárias, corajosas, determinadas, vencedoras... perdem batalhas e ganham guerras. Querem mudar o mundo... querem que o mundo mude por elas.

Mulheres líderes por uma razão, por um motivo, por uma causa. E essas permanecem para todo o sempre sempre!

Nha Terra Nha Cretcheu - RTP África, 20h3O em Cabo Verde, 22h30 em Portugal!
Não Percam...

quarta-feira, 18 de março de 2009

A polémica da cadeira




Relativamente à polémica do último jantar da comitiva do Primeiro-Ministro, José Sócrates, no restaurante Quintal da Música, na cidade da Praia, ilha de Santiago, Cabo Verde, faltava ouvir outras pessoas que também estiveram no dito acontecimento: o empregado e a dona do restaurante, D. Aida, que também assistiu à cena.

Segundo a proprietária, as mesas eram para serem colocadas em forma de “U,” mas a comitiva preferiu que fosse “à mistura”, para que houvesse uma interacção do grupo, sem distinguir ministros de jornalistas.

À chegada ao espaço, José Sócrates, em tom de brincadeira ou ironicamente - cada um dará o seu sentido -, afirmou: “Colocaram-me no meio de jornalistas, vai dar confusão, mas não há em problema”.

Entretanto, segundo a proprietária, o ministro Rui Pereira (que já tinha jantado no Quintal da Música numa outra noite) não estava presente, pois estaria com o Ministro da Administração Interna, Lívio Lopes, noutro local, tendo chegado mais tarde porque queria despedir-se da dona, já que tinha gostado imenso de ter jantado naquele restaurante.

Quando o ministro chegou, um dos lugares ao lado de José Sócrates já estaria vazio. Mas, de acordo com a proprietária, Rui Pereira chegou e esteve a conversar com ela, ficando de costas para o PM e ela de frente com ângulo de visão para José Socrates.

O Primeiro-Ministro deu a indicação à proprietária do restaurante de que queria falar com o ministro e esta pediu ao tal empregado para arranjar uma cadeira menor (em foto). Rui Pereira sentou-se ao lado do PM para então falarem sobre o assunto que José Sócrates tanto queria conversar.

Ainda de acordo com a dona, o jantar decorreu da melhor forma sem ter notado algum constrangimento ou mal-estar. Quando confrontada com a situação de que a “cadeira” teria sido geradora de polémica, a senhora mostrou-se surpreendida: “Se alguém poderá ser apontado por alguma coisa sou eu, pois fui eu que dei a ordem para colocar a cadeira entre o lugar vazio e o Sr. Primeiro-Ministro”.


Foto: Redy Wilson Lima – Obrigada pela ajuda :)

terça-feira, 17 de março de 2009

A gaffe de Sócrates

Na inauguração do Troço de Estrada do desvio de São Domingos, com a presença do Primeiro-Ministro de Cabo Verde, José Maria Neves e do Primeiro-Ministro de Portugal, José Sócrates, eis o final de um discurso que mais parecia uma campanha do que outra coisa:

"Viva São Domingos, Viva Cabo Verde, Viva a Ilha de S. Vicente", by Sócrates.


A gaffe rapidamente foi reparada com um sussurar do Primeiro de Cabo Verde ao ouvido de Sócrates ("é Ilha de Santiago")e depois uma "retirada em grande" do governante português.

"Desculpem, mas como amanhã vou visitar a Ilha de S. Vicente, é já uma homenagem antecipada".


Desculpas não aceites... Que mico Sr. Primeiro Ministro!!!!

Quando a luz se apaga e a torneira não corre



Era uma vez... Um lugar perdido em memórias medievais. Dá pelo nome de Matinho, no concelho de Santa Cruz, Ilha de Santiago.

Guardado pelo silêncio dos vales e serras, acolhe olhares cansados da escuridão do tempo e das secas constantes.

Não há interruptores, não há televisão, não há frigoríficos, não há fogões. A luz não se apaga nem se acende, a àgua só corre na nascente.

Apenas algumas velas ou candeeiros a petróleo iluminam o final de tarde naquela povoação. O sol é quem comanda a vida das três mil pessoas que vivem neste lugar do antigamente. Uma pausa prolongada numa linha cronológica.

Os primeiros raios anunciam o despertar. Começa um novo dia e as próximas horas são de grande esforço.



As mulheres preparam os burros, carregados com bidons, para irem até à ribeira mais próxima em busca de àgua. Os animais asssumem-se como a única forma de transporte.

Cinco quilómetros a pé em nome da sobrevivência, num percurso que demora cerca de trinta minutos. Por vezes, espera-se numa fila só para encher uma caneca.

Antes dos estudos, os mais novos ajudam na árdua tarefa, enquanto os homens tratam da agricultura local. Aqui é a Natureza que dá.

Maria Alice inicia o ritual diário. Depois da caminhada até à ribeira, dá banho aos dois filhos. Estes nem reclamam da temperatura fria, típica da água de nascente.
O banho tem de ser rápido, pois não há espaço para o desperdício.

Espaço Multiusos do Matinho. Um local com poucos meses de vida. Neste edifício, os habitantes de palmo e meio vivem a sua infância da maneira que é possível.



São escassos os brinquedos, são escassos os livros, e os bens necessários. A água não corre pelas torneiras e a sede mata-se com as poucas garrafas trazidas de casa.

O horário de entrada impõe-se às 8h30 da manhã, enquanto que a saída é uma incógnita. Tudo depende da chegada do pôr-do-sol. Tal como os seus pais, avós, irmãos, tios e primos, as 37 crianças aguardam a chegada da tal energia prometida.

Escola “A Turminha”, no centro da capital. Neste espaço, que acolhe cerca de 200 crianças, vive-se sem a preocupação de assistir a uma aula à luz das velas ou com o medo de não ter água para lavar as mãos.



Cada menino ou menina tem a sua própria garrafa e pode ir à casa de banho, tranquilamente sem encontrar um papel que indique “fora de serviço”.

No entanto, nos meses de Verão, a situação muda de figura. O contraste da ruralidade faz uma breve passagem pelo presente urbano. Apenas por alguns dias ou semanas, os cortes de água e de luz são uma constante (tornam-se habituais).

A escassez de água e a má política de gestão de recursos hídricos. A deficiência energética e a grande dependência de electricidade importada. Problemas espalhados pelas nove ilhas habitadas de Cabo Verde e uma só empresa para dar conta do recado.

A Electra, empresa de produção e distribuição de água e energia, nacionalizada em 2008, após a saída da parceira portuguesa EDP.

As dívidas elevadas da empresa aos vendedores de gasóleo, o não pagamento das facturas dos consumidores, a electricidade clandestina. Três causas. Vários culpados. A esperança na linha da frente daqueles que anseiam por energia 24 horas.

No meio rural mais de 51% dos agregados familiares, utilizam petróleo e velas para iluminação. 66% das famílias utilizam (recorrem à) lenha para cozinhar.
Pouco mais de três quartos da população tem uma fonte de água a menos de 15 minutos e nas localidades do interior apenas 22% tem acesso à água canalizada da rede pública.

Por isso, no Matinho o almoço é feito ao ar livre, sem energia, sem tomadas eléctricas, sem fogões ou microondas. A lenha aquece os tachos, os pratos lavam-se como se pode.

O tempo não volta atrás, o tempo não espera por ninguém e a população daquela terra olha para os ponteiros do relógio ou para as folhas do calendário na esperança de que um dia o seu tempo seja vivido de outra forma.

Em curso está o Projecto Integrado da Povoação do Matinho, uma proposta entregue à Embaixada dos Estados Unidos da América, que envolve um investimento de cerca de sete mil contos.

Abertura de furos, Instalações eléctricas de geradores, construção de três reservatórios são algumas das prioridades que constam no plano.

Em Fevereiro deste ano, foi anunciado que o Governo de Cabo Verde prevê aumentar a produção da energia no país, com a instalação de quatro parques eólicos, orçados em cerca de 50 milhões de euros.

Este programa insere-se numa aposta forte do executivo nas energias renováveis, com o objectivo principal de reduzir a dependência de Cabo Verde em relação aos produtos petrolíferos, passando primeiramente, pelo desenvolvimento massivo das energias eólica, solar e também das ondas do mar.

Chega-se ao fim de tarde naquela localidade que dá pelo nome Matinho. O Sol anuncia que a escuridão está mais uma vez a chegar. Hoje, antes de deitar (antes da hora de dormir) as preces de sempre, amanhã a mesma rotina que não quer ir embora.

Nos entretantos, espera-se que a luz esteja à mercê de um simples clique e que a água não fique para sempre à distância de muitos quilómetros.



Nha Terra Nha CretcheU - RTP Africa
Quinta-feira, às 20h30 Cabo Verde 21h30, Portugal
Programa: Energias Renováveis

segunda-feira, 9 de março de 2009

Férias para nove mais sete




Nove ministros e sete secretários de Estado a caminho de Cabo Verde. Que grande comitiva sim senhor! O nosso Primeiro-Ministro é de facto uma alma caridosa, como não gosta de desfrutar dos prazeres da vida sozinho, decidiu convidar o seu executivo para umas merecidas férias. Já que o trabalho em Portugal tem os deixado de rastos.

Um "patrão" assim é o que toda a gente deseja!!!!

domingo, 8 de março de 2009

A moment like this...



Paixão à primeira vista :)

O Picasso das calçadas

Julian Beever é um artista inglês de Chalk art (Arte com giz) que cria desenhos tridimensionais utilizando giz como material. Utilizando a técnica conhecida como anamorfose, Julian cria uma ilusão de óptica 3D quando a imagem é vista a partir de determinado ângulo.

Frequentemente, chamado de Pavement Picasso, os seus desenhos são minuciosamente projectados e milimetricamente executados. Pura matemática. Em média, o artista leva cerca de três dias para completar uma obra.

Aqui ficam alguns exemplos...









8 de Março. Em vez do Dia Internacional da Mulher deveria ser o Dia em que as mulheres deixaram de sofrer qualquer tipo de descriminação por esse mundo fora. Não faz qualquer sentido esta data. Como se costuma dizer Natal é todos os dias, e o tal Dia da Mulher também.

Mas como continua a ser comemorado, não poderia deixar de agradecer ao excelente cozinheiro e à sua equipa :) pelo almoço preparado neste dia, pelas surpresas e criatividade ao longo da tarde.

Três mulheres que foram totalmente apaparicadas antes do começo de mais uma semana de trabalho!

Obrigada meus queridosssssss...

quarta-feira, 4 de março de 2009

Uma dor de cabeça chamada Magalhães

A próposito do Magalhães... Não tenho nada contra a vinda dos computadores para as escolas de Cabo Verde, mas faço uma pergunta será que vai acontecer o mesmo que ocorreu em diversos estabelecimentos de ensino, em Portugal, onde foram entregues os "dito cujos" num dia, numa cerimónia com toda a pompa e circunstância e, mal a caravana executiva abandonou o espaço foram retirados os computadores, pois apenas estavam ali para a fotografia?

Esta situação revoltou os pais que protestaram dia após dia e, após tanta discussão, lá o Ministério da Educação foi "amiguinho" e devolveu "ao povo o que é do povo". Os Magalhães regressaram para as mãos dos miúdos. Que gentis!!!

Ou então como numa aldeia em Ponte de Lima... Foi prometido um computador por aluno(30 crianças) e apenas foram entregues 12, deixando os professores numa situação ingrata pois tiveram de decidir quais eram os "filhos e os enteados". As crianças que ficaram só com as promessas choraram vários dias seguidos, pois os computadores com que andavam a "sonhar" não passaram de um mera ficção, ou então veêm agora a caminho de Cabo Verde...

José Sócrates deveria primeiro pensar em "arrumar a sua própria casa" porque de aparências está o mundo cheio e há que confessar que nós andamos fartinhos delas... Já não há paciência para tanta burrice!

terça-feira, 3 de março de 2009

O Magalhães está a chegar...






O Primeiro-Ministro de Portugal, José Sócrates, chega no próximo dia 12 às ilhas crioulas. Na comitiva traz 12 mil Magalhães, para animar os alunos do Ensino Básico Integrado e do sétimo e oitavo ano de escolaridade e, os Da Weasel porque o que faz falta é animar a malta.

Tal como um amigo meu conclui, será que o senhor sabe que vai pagar excesso de bagagem?

A doninha na Praia



Dia 13 de Março, sexta-feira, no Auditório Nacional Jorge Barbosa, pelas 22h00. Que saudades...

domingo, 1 de março de 2009

Zeitgeist - O despertar!


"Quando o poder do amor se sobrepuser ao amor ao poder o mundo conhecerá a paz" Sri Chinmoy

Documentário Zeitgeist

Dividido em três partes, todas elas sobre a manipulação a que o ser humano tem vindo a ser sujeito ao longo da sua existência.

Primeira Parte: O domínio do cristianismo. E se Jesus Cristo nunca tivesse existido? A criação de um mito em nome de uma ansia em controlar as mentes?

Segunda Parte: World Trade Center, um plano estrategicamente pensado, nem mais nem menos. Mais uma vez em nome do poder, gerar guerras, invadir o Iraque e o Afeganistão. A administração Bush que há várias gerações "joga" com a vida dos cidadãos, como se tratassem apenas de simples marionetas. E pior, é que estes nem se apercebem e acabam por pedir, insconcientemente, esse controlo.

Faz lembrar a celébre frase de Maquiavel, "Os fins justificam os meios", exposta na sua obra "O Príncipe", onde no capitulo 15 o filósofo "escreve sobre como um príncipe deve proceder perante os seus súditos e amigos, explicando que para manter-se adorado é necessário que o líder saiba utilizar os vícios e as virtudes necessárias, fazendo o que for possível para garantir a segurança e o bem-estar".

A perspectiva destes dois conceitos na trágica história do World Trade Center resumiu-se apenas à segurança e bem-estar de interesses levianos, de pessoas corruptas, de seres humanos que amam o poder e a ele prestam vassalagem.


III Parte - A manipulação das instituições bancárias internacionais. Fez-me lembrar um post de Frederico Duarte Carvalho, no blog Para Mim Tanto Faz www.paramimtantofaz.blogspot.com, onde o jornalista pergunta a Daniel Estulin, autor do livro "O Clube de Bildberg", o que pensava sobre a actual crise mundial, à qual respondeu:

"... I had established a very good professional relationship with a very important member of the World Bank who was very critical of Bilderberg and their plans. I asked this person (won´t tell you if it is a he or a she) what 'demand destruction' meant. This person asked me. 'How do you destroy demand?' I said through Wars, would be one way.'Yes, may be. But there is a much easier way', this person said to me. 'You destroy demand by destroying world economy ON PURPOSE'.


O mundo controlado por elites económicas. A crise de 1929 planeada ao pormenor, os atentados a Madrid e a Londres estrategicamente pensados, o encontro de George Bush, na manhã do 11 de Setembro, com o irmão de Osama Bin Laden. Os chips humanos, que localizam-nos onde quer que estejamos. O controlo total da humanidade, por um grupo restrito...

Demasiada fantasia, ficção, teorias de conspiração? Tire as suas próprias conclusões em Zeitgeist, porque ainda somos livres para emitir opiniões, ainda...