Daily Calendar

Seguidores

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Confissões de uma Vítima de Violência Doméstica

Hoje, dia 25 de Novembro, Dia internacional de Combate à Violência contra as mulheres.

Escolher a denuncia como arma. Saltar para a liberdade através da denuncia e não através de uma qualquer janela de um prédio. Escolha a vida como libertação e não a morte como fuga.


Sou um corpo que deambula ao acaso,
Que vive com medo todo o dia.
Amostra de ser mal amado
Sem conhecer felicidade e alegria.

Uma mulher constantemente criticada
Que chora apenas escondida,
Consciente que não vale nada,
E a imagem totalmente denegrida.

Escondo os hematomas como sei.
Habituei-me há muito a mentir...
Vivo uma vida como nunca pensei,
Com a maior parte do tempo a fingir.

Esta mão, assim queimada, e a doer,
É porque sou tão distraída...
Meti-a numa panela a ferver
E fiquei tão arrependida.

Tapo as nódoas negras com roupa
De Inverno, mesmo no Verão.
Apenas porque sou meia louca
Passo a vida a cair ao chão.

A boca, assim cortada,
Foi apenas porque sorri...
Não sei estar calada...
Apanhei porque mereci.

Quando parti o braço direito,
Foi porque me maquilhei nesse dia.
Mas afinal, foi bem feito,
Porque parecia uma vadia.

O meu corpo está tão cansado
Não aprendo a me comportar
Para viver bem com meu amado,
Que tudo faz por me amar.

Farta dos meus erros e maldade
Subo até ao vigésimo andar!
Salto, enfim, para a liberdade,
E já sou feliz... a voar!



Escrito por Vera Sousa Silva

Mi casa es su casa - Reportagem no Nha Terra Nha Cretcheu


A gastronomia é o nosso bilhete de identidade cultural. Paladar… Cheiro… Cor… Variedade… O estômago agradece e o coração fica feliz. Saber comer ou comer bem… É sempre a questão… Mas o mais importante é desfrutar de uma boa refeição.

Os temperos vindos de terras lusas, os condimentos aromáticos da Columbia, os fortes cheiros do Senegal, a rica culinária cabo verdiana.

A variedade dos sabores culturais já chegou a terras crioulas…

A troca do conhecimento gastronómico no mesmo espaço, na mesma casa, no mesmo lar. A química do amor multicultural na cozinha!


Reportagem hoje no Nha Terra Nha Cretcheu - RTP Africa - 22h15, hora de Portugal.
TCV - Sexta-feira, depois da novela

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Limpeza na luta contra Dengue... E depois como será?

Cabo Verde está em estado de Alerta! A dengue, aquela epidemia que tanto se houve falar no Brasil, chegou a Cabo Verde mas com a promessa de que veio para ficar.

Perante os inumeros casos que têm surgido, mais de cem por dia, o Primeiro Ministro, José Maria Neves, resolveu decretar o dia de hoje, 6 de Novembro, como Feriado Nacional, para que se procedesse a uma limpeza geral da capital caboverdiana, acabando com os focos, onde há maior prevalência do mosquito.

É de louvar a união do povo caboverdiano nesta luta. Hoje a meio da manhã cheguei da Ilha do Fogo, onde também aqui as pessoas tinham se juntado em prol de uma causa, e reparei que desde o caminho do aeroporto até à Achada de Santo António, muitos caboverdianos e não só, tinham respondido ao apelo de eliminar os residuos que podem servir de propagação do mosquito.

É de louvar sim... mas é de se esperar que esta limpeza continue. Ainda bem que se está a fazer algo, mas tudo seria melhor se esta ideia tivesse sido dada antes do estado de alerta.

Desde o primeiro dia que cheguei à Praia, a 4 de Outubro de 2009, que fiquei chocada com a quantidade de lixo, sujidade, residuos, que as ruas da capital comporta. E ao fim de um ano posso dizer que o quadro é o mesmo.

Porquê é que no Fogo, Brava, Sal (ilhas que já visitei) as ruas estão limpas? Será que é da mentalidade dos badios? Ou então porque culpa das autoridades locais que não se esforçam o suficiente para minimizar este drama?

Gostava sinceramente que houvesse uma mudança de comportamento, mas também adoraria que em cada localidade da Praia, houvesse mais caixotes do lixo. Porquê senão há opções é obvio que as pessoas vão continuar a colocar os seus residuos na rua à espera que passe o camião da recolha, que por vezes também falha...

Agora tenho receio... que a Dengue passe e que tudo volte ao mesmo. Sacos do lixo a "voarem" de dentro das casa para as ruas, as praias poluidas, os escassos caixotes lotados em que como não há espaço coloca-se no chão. O cheiro.. o mau estar...


O melhor é esperar para ver... e acreditar. Mas antes de mais, e muito importante que tudo é que esta epidemia faça as suas malas para nunca mais voltar!!!