Daily Calendar

Seguidores

terça-feira, 30 de março de 2010

A encruzilhada das palavras

Escrever, escrever, escrever... mas escrever o quê? Não me apetece!
Mas, escreve para não quebrar o ritmo. Mas o ritmo nunca é quebrado quando se gosta de escrever.

Escrever para quem? Para mim? Para o meu eu? Ou para ti, para vocês, para o mundo? Não, não me apetece escrever só por escrever... há dias, semanas, meses que nos falha a inspiração. Que a alma não está para ai virada. E isso é mau? Somos menos amantes das palavras porque não escrevemos habitualmente, ou porque simplesmente as ideias não nos saíem. Somos menos pessoas, menos ser humanos, menos escritores, menos jornalistas, menos artistas, menos poetas, menos vendedores ambulantes de sonhos, menos fazedores de histórias, porque os pensamentos ficaram presos e não há maneira de levantar a tal alavanca para os libertar?

Que sufoco... escrever, escrever, escrever, mas porquê? Porque “eles” assim mandam, assim exigem, assim o esperam... ansiosos, sem dó nem piedade! Porque a dó é só para alguns e a piedade fica em casa a dormir!

Escreve qualquer coisa, merda! Nem que sejam palavras que não façam qualquer sentido, e que só as tais mentes mais brilhantes e egocêntricas é que vão propagar que perceberam. Ou então escreve caro, bastante caro, busca as palavras mais “deveras melancolicamente transcendentais” e escreve com o fogo de artificio que essas palavras requerem... escreve coisas que ninguém percebe mas que todos fingem perceber, porque escrever caro é sempre caro. Uma coisa de status estás a entender?


Continua não pares... continua a tua escrita de hoje porque amanhã a mesma missão inconveniente irá sussurrar te ao ouvido, e caso a inspiração te feche novamente as portas, o mesmo dilema, o mesmo bla bla irá tocar à tua companhia.

Escrever, escrever, escrever... mas escrever o quê? Não me apetece! Mas acabei por fazê-lo...

segunda-feira, 15 de março de 2010

A PAT já tem um blogue!!!!

www.elguinhas.blogspot.com

Mais um blogue para seguir... não é por ser só de uma grande amiga minha, mas porque as suas dissertações humorísticas, as suas loucuras saudáveis e devaneios apetitosos valem a pena ser divulgados!

(Uma beija Pat, o mundo da blogosfera é fantastico não é?)

segunda-feira, 8 de março de 2010

Foi a 8 de Março de 1857 que tudo começou...

"A ideia da existência de um Dia Internacional Da Mulher foi proposta na virada do século XX, no contexto da Segunda Revolução Industrial, quando ocorre a incorporação da mão-de-obra feminina em massa, na indústria. As condições de trabalho, frequentemente insalubres e perigosas, eram motivo de frequentes protestos por parte dos trabalhadores. As operárias em fábricas de vestuário e indústria têxtil foram protagonistas de um desses protestos contra as más condições de trabalho e os baixos salários, em 8 de Março de 1857, em Nova Iorque".

Lembrar sempre este dia por este feito… pela luta de mulheres oprimidas inseridas num sistema machista, esclavagista, onde o sexo feminino era tratado como um mero acessório do homem.

Graças ao suor, às lágrimas, ao sangue, à revolta de muitas mulheres, somos livres em muitas das sociedades deste mundo, somos consideradas também seres humanos, sem haver a dualidade de masculino feminino. Sem haver a crueldade de outros tempos…

Mas também devido à luta de muitos homens, que movidos por uma visão muito à frente da sua época defenderam as suas mães, irmãs, mulheres, primas, amigas, como parte integrante da sociedade, aniquilando no seu pensamento, nas suas ideias, a clausula da inferioridade imposta em qualquer contrato verbal proferido por alguns homens.

Tal como o Natal, o Dia Internacional da Mulher deveria ser todos os dias, no sentido de nem que fosse por cinco minutos… lembrarmo-nos de que naqueles instantes há uma mulher que é preterida numa empresa simplesmente por ser mulher, outra que “apanha” do marido ou do namorado por ser considerada “uma coisa inferior”, que há aquelas que casam por conveniência, sem amor nem carinho, porque na sociedade que estão inseridas não têm direito a opinar, não tem direito à educação, aos livros, à escola, a um gesto mais amável. Porque se não fizer o que o “senhor” lhe dizer é chicoteada mentalmente ou morta em praça pública, considerada assim um mau exemplo.

A equidade do genero... a falta dela!

Talvez esses cinco minutos podem-se transfomar em 100 anos de arrependimento, de introspecção, de julgamento da consciência, e que esses actos maléficos parassem de ocorrer.

Sabemos que não é asssim... O mundo não é cor de rosa, nem azul, verde, amarelo, mas uma confusão de cores, que ocupam o espaço uma das outras.

Este dia também deve ser dedicado aqueles que movidos por um sentido de soliedariedade ajudam estas mulheres a sair do inferno das suas vidas. Um simples gesto, palavra, ajuda psicologica ou numa fuga, pode ser tudo!

Este dia faz todo o sentido pelo sentido de como começou… agora o Dia Internacional da Mulher é todos os dias, por menos eu tento que os meus dias assim o sejam, diariamente um melhor que o outro.

Uma amiga minha disse-me há pouco tempo uma frase que até hoje não esqueço "Reune-te das pessoas que tiram o melhor de ti", e é esse melhor que quero todos os dias.

Para aquelas mulheres que não têm a oportunidade de privar da mesma liberdade que eu tenho, essas sim devem ser ajudadas dia após dia, e não serem recordadas apenas quando chega o 8 de Março…
Eu já pequei… lembrei-me delas somente no Dia Internacional da Mulher!

domingo, 7 de março de 2010



Esta mulher é simplesmente um fenómeno! e escrevo no presente porque ela está aqui!!! Ontem hoje sempre!

We are The World - for Haiti



Passados 25 anos uma nova versão, adaptada aos estilos modernos, mas sem nunca perder a sua verdadeira mensagem!

sábado, 6 de março de 2010

Poemix que me deixou felix



Uma das coisas que mais me chateia na cidade da Praia é a falta de actividades nocturnas... chega o fim-de-semana acompanhado da pergunta: "Aonde é que vamos beber um copo? ou "O que vamos fazer no serão de sexta-feira? Sempre os sítios do costume, o mesmo ritmo, as banalidades constantes… as mesmas conversas!

E mesmo naqueles locais apelidados “de outsiders”, mas muito cool acabam por cansar ao final de um tempo. Quer-se partir à descoberta de novidades, mas estas tardam em aparecer.

Por isso, quando aparecem eventos como "Poemix - Poemas de nenhum lugar", sentimos que estamos noutra dimensão, a respirar outro ar...Sentimos sim, uma lufada de ar fresco, de contentamento, de um simples assimilar para mais tarde recordar.

O conceito é simples: Pela voz artística de Mito Elias juntando a sensibilidade musical de Binga de Castro, durante cerca de uma hora, o Instituto Internacional da Língua Portuguesa deu as boas vindas à escrita poética, que se fez acompanhar dos mais diversos instrumentos... Estes embalavam a plateia, com os sons pensados para cada um dos poemas. O vídeo deixava-nos perdidos nos nossos pensamentos… cada um mais livre que o outro.

O entusiasmo verbal de Mito é cativante. Sentiu-se que alma queria saltar do corpo ao recitar os 12 poemas de vários autores cabo-verdianos: Alexandre Cunha, Arménio Vieira, Danny Spínola, Eurico Barros, Filinto Elísio, Jorge Carlos Fonseca, José Luíz Tavares, Mário Fonseca, Mito, Oswaldo Osório, Vadinho Velhinho e Zé di Sant'y'agu.

Houve alguns que me deixaram atordoada: o saudoso Mário Fonseca com uma escrita fora do vulgar tocou-me o coração, o habitual controverso Arménio Vieira fez-me sorrir algumas vezes, Filinto Elisio com as suas letras apaixonadas, mas talvez o mais agressivo mas eficaz o de José Carlos Fonseca, "Praia Cidade Minha", saboroso texto, mas com uma terapia de choque à mistura.

"Viva a poesia" foi a deixa final de Mito e Binga, e de facto não poderia ter sido melhor.

"O objectivo deste evento é procurar realçar a beleza das palavras, dos gestos, das imagens e dos sons que cada escrito sugere, para que a poesia não fique estática e empoeirada nas estantes", escrevia na nota de imprensa.

Não podia estar mais de acordo. Praia, os praienses, todos os cabo-verdianos, e nós os que escolhemos Cabo Verde como a nossa segunda terra, têm o direito de assistir a acontecimentos como este. Iniciativas simples, sem grandes pompas e circunstâncias mas de uma beleza rara perdurante na memória.

No final uma diversidade de sentimentos. O decifrar dos poemas, dos sons, da imagem, da voz... o simples sentir bem, o querer mais e mais... mas depois vem novamente a escolha difícil... onde ir? Não me apetece ir aos sitíos do costume, com os mesmos ritmos, escutar as banalidades de sempre ou desviar-me das conversas habituais… a vontade não era muita, mas lá fui para casa, sem sono e até este chegar lá fiquei a pensar “no silencio que mata” pois “todos os paraísos são artificiais”.

quinta-feira, 4 de março de 2010

Saudade o mais dificil dos sentimentos



Um bom regresso a Portugal! Que todos os teus objectivos se realizem! Nós vamos ficar com muitas saudaditas....

Fresquinhas!

Notícias do dia


Público: "Portugal está acima da média mundial relativamente ao número de mulheres em cargos parlamentares e supera a maioria dos países desenvolvidos do G8 na liderança feminina dos ministérios governamentais, revela um estudo internacional".

Uma boa notícia...

Jornal I: "A greve geral da função pública já está em movimento. Escolas, hospitais, tribunais e repartições de finanças deverão reflectir o descontentamento dos trabalhadores com o congelamento de salários dos funcionários públicos em 2010."

Como dizia o outro Está se bem aqui,tá-se tá-se!

Público: "Foi instaurado um inquérito sobre o caso de suicídio de uma criança de 12 anos em Mirandela. Colegas e familiares afirmam que o aluno era uma vítima de outros estudantes e até já identificaram os agressores"

bullying - "O termo “Bullying” compreende todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas, que ocorrem sem motivação evidente, adoptadas por um ou mais indivíduos contra outro(s), causando dor e angústia, e executadas dentro de uma relação desigual de poder. Portanto, os actos repetidos entre elementos da mesma comunidade(colegas) e o desequilibro de poder são as características essenciais, que tornam possível a intimidação da vítima. Em princípio, pode parecer uma simples brincadeira mas não deve ser visto desta forma. A agressão moral, verbal e até corporal sofrida pelos alunos, provocando sofrimento na vítima da “brincadeira”, esta pode entrar em depressão" -

Visitem http://www.bullyingescola.com é importante ficarmos a par de uma realidade que qualquer filho, neto, primo, irmão pode se deparar na escola.


Jornal I: "São cada vez mais frequentes os casos de correios de droga que morrem durante a viagem de avião."

Uma peça a ser lida.

Diário de Noticias: António Vitorino desmente as afirmações feitas ontem por Manuela Moura Guedes em Comissão Parlamentar, segundo as quais o dirigente do PS teria pressionado a Prisa para afastar a apresentadora do jornal de sexta feira da TVI.

"Não querer saber é pior do que desconhecer", apesar da divulgação das escutas nos orgaos de comunicação ser uma violação, já que são do foro privado e não foram pedidas por nenhum juiz, vão me desculpar mas a VERDADE, neste caso, tem de superar a justiça que há muito anda de olhos fechados. Aqui é a jornalista que fala, que recrimina os actos de pressão feitos pelo Governo ou por qualquer outra instituição. Sabemos que as pressões acontecem em todo o lado faz parte... não há muito a fazer... mas tudo o que é em exagero cheira mal! Liberdade de imprensa já ouviram falar? Apesar de ser apologista da verdade não sou ingenua e as verdades podem ser muitas... acabando cada um por ficar com a sua verdade, e o povo com nenhuma.

Porém,não nos podemos esquecer que a história do good cop Bad Cop também faz figura no mundo do jornalismo... fazia muito bem a alguns pseudo-jornalistas darem uma vista de olhos no codigo deontológico, talvez todos os dias antes de se deitarem, para que durante a noite o cerebro assimile aquilo que durante o dia faz questão de esquecer!

Santos só no altar e até esses, procurando bem no fundo, irão encontrar alguns pecados para confessar!