Daily Calendar

Seguidores

terça-feira, 30 de março de 2010

A encruzilhada das palavras

Escrever, escrever, escrever... mas escrever o quê? Não me apetece!
Mas, escreve para não quebrar o ritmo. Mas o ritmo nunca é quebrado quando se gosta de escrever.

Escrever para quem? Para mim? Para o meu eu? Ou para ti, para vocês, para o mundo? Não, não me apetece escrever só por escrever... há dias, semanas, meses que nos falha a inspiração. Que a alma não está para ai virada. E isso é mau? Somos menos amantes das palavras porque não escrevemos habitualmente, ou porque simplesmente as ideias não nos saíem. Somos menos pessoas, menos ser humanos, menos escritores, menos jornalistas, menos artistas, menos poetas, menos vendedores ambulantes de sonhos, menos fazedores de histórias, porque os pensamentos ficaram presos e não há maneira de levantar a tal alavanca para os libertar?

Que sufoco... escrever, escrever, escrever, mas porquê? Porque “eles” assim mandam, assim exigem, assim o esperam... ansiosos, sem dó nem piedade! Porque a dó é só para alguns e a piedade fica em casa a dormir!

Escreve qualquer coisa, merda! Nem que sejam palavras que não façam qualquer sentido, e que só as tais mentes mais brilhantes e egocêntricas é que vão propagar que perceberam. Ou então escreve caro, bastante caro, busca as palavras mais “deveras melancolicamente transcendentais” e escreve com o fogo de artificio que essas palavras requerem... escreve coisas que ninguém percebe mas que todos fingem perceber, porque escrever caro é sempre caro. Uma coisa de status estás a entender?


Continua não pares... continua a tua escrita de hoje porque amanhã a mesma missão inconveniente irá sussurrar te ao ouvido, e caso a inspiração te feche novamente as portas, o mesmo dilema, o mesmo bla bla irá tocar à tua companhia.

Escrever, escrever, escrever... mas escrever o quê? Não me apetece! Mas acabei por fazê-lo...

2 comentários:

João Marques disse...

Sempre a brilhar, com a sua eloquência e fluidez habitual, num quiosque perto de si.. :) Beijocas do teu Joni. Continua a escrever, porque a palavra tem palavras próprias que por vezes também elas não querem sair. :) Kiss

Patrícia disse...

Muito Bom GUI!!!!